Antropologia das emoções em arquivos pessoais: a interdisciplinaridade como instrumento

Camilla Campoi de Sobral, Patrícia Ladeira Penna Macêdo

Resumo


O presente trabalho busca construir um diálogo interdisciplinar entre a Arquivologia e a Antropologia das Emoções de forma a potencializar as maneiras de se pensar os arquivos pessoais. Os conhecimentos oferecidos pelos aportes teóricos das Ciências Sociais sobre emoções instrumentalizam o arquivista na compreensão das gramáticas afetivas tão recorrentes nos documentos íntimos. Um arquivo pessoal é o registro criado por um individuo para organizar sua vida em sociedade e invariavelmente apresentará seus afetos, desafetos e expressões de sentimentos. Consideramos também, que além de abrigar as muitas personas do produtor, um arquivo pessoal é produto do contexto em que o produtor esteve inserido no momento da produção documental. A partir desses parâmetros entendemos que arquivos produzidos em contextos limitados pela inserção do produtor em espaços restritivos ou de exceção merecem uma delimitação e um tratamento apropriado. Para relacionar as questões propostas utilizamos como objeto de análise o arquivo Lucia Velloso Maurício, presa entre 1971-1974 durante o período da Ditadura Militar no Brasil.


Palavras-chave


Arquivologia; Arquivos Pessoais; Antropologia das Emoções

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Mapa de visitantes

Locations of visitors to this page